Será que a Superlua é super mesmo?

[imagem: Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO)/logo Superman: DC Comics]

Existem muitas coisas superlativas na astronomia. Quando queremos dizer que um número é muito grande, costumamos dizer que é um valor astronômico! Existem buracos negros SUPERMASSIVOS. Existem explosões estelares descomunais chamadas SUPERNOVAS! E no meio de tantos superlativos, talvez a superlua nem seja assim tão super mesmo.

Para entender o que é isso que chamamos de Superlua, precisamos primeiro entender que a órbita lunar não é circular. A lua descreve uma elipse em torno da Terra e em alguns momentos se aproxima mais de nós, enquanto em outros se encontra mais afastada. Temos nomes especiais para os pontos de maior e de menor proximidade entre Lua e Terra: Perigeu e Apogeu.

Variação da distância da Terra à Lua ao longo de um ano. [gráfico: Céu Profundo.]

No perigeu a distância da Lua à Terra é de aproximadamente 360 mil km. Já no ponto mais distante, o Apogeu, a distância é de aproximadamente 406 mil km.
Essa oscilação na distância tem como consequência uma variação no tamanho aparente da Lua. No ponto mais próximo nosso satélite natural nos parece 14% maior, em comparação com o diâmetro observado no ponto mais distante.

variação no diâmetro aparente da Lua ao longo do ano, em minutos de arco (‘) [gráfico: Céu Profundo].

A outra variação importante (essa é bem óbvia!) que percebemos na Lua é na porção iluminada de sua face visível. Na Lua cheia temos 100% de iluminação. Nos quartos crecente e minguante, 50% da face visível está iluminada. E na Lua nova tudo está às escuras.

Fases da Lua ao longo do ano (100% = Lua Cheia, 50% = Quartos crescente e minguante, 0% = Lua nova). [gráfico: Céu Profundo]

Acontece que o período entre dois perigeus sucessivos é diferente do período entre duas Luas cheias. E ocasionalmente temos a coincidência da ocorrência de uma Lua cheia quando a lua se encontra mais próxima de nós. Essa Lua cheia com diâmetro aparente 14% maior e 30% mais brilhante é o que chamamos de SUPERLUA!.

Em 2019, as duas primeiras Luas cheias foram Superluas! [gráfico: Céu Profundo]

Mas o fato é que a diferença não é tão super assim e você provavelmente nem notaria que a Lua está no perigeu se não houvesse tanto barulho sobre o tema.

O resultado é o que você vê na imagem abaixo, comparando o tamanho máximo e o mínimo da Lua.

Comparação do tamanho aparente da “Superlua” (Lua cheia no perigeu) e da “Minilua” (Lua cheia no apogeu). [imagens: Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO)]

Mas apesar de talvez não merecer o título de super, precisamos ser justos: nenhum outro objeto rivaliza com a Lua na disputa pelo título de objeto celeste que mais tem fascinado a humanidade ao longo da história.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *