Projeto SANJ-A – São José dos Campos educando para o Espaço.

Foguete Didático – Quadro de Vídeo de Alta Velocidade para rastreio de trajetória e análise da dinâmica de voo [imagem: IAE/Laboratório de Registro de Imagem]

A cidade de São José dos Campos, localizada a 80km de São Paulo na região do Vale do Paraíba, é um polo científico, tecnológico e aeroespacial que abriga, entre outras instituições, o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), o ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), o IAE (Instituto de Aeronáutica e Espaço) e a EMBRAER.

A cidade é berço também de diversos projetos de divulgação e educação científica, abrigando três observatórios astronômicos, planetário, museu de ciências e projetos voluntários de divulgação científica como o Ciência no Parque, com atividades quinzenais no Parque Vicentina Aranha.

Alunos do projeto Decolar em aula sobre recuperação de cargas úteis espaciais.

É natural que a educação na cidade se volte para estas atividades e que os alunos tenham especial interesse na área aeroespacial.

O próximo grande passo na vocação aeroespacial da educação joseense é o desenvolvimento, construção e lançamento de uma plataforma embarcada de medição inercial a bordo de um foguete da série FTI (Foguete de Treinamento Intermediário) lançado pelo CLA (Centro de lançamento de Alcântara).

O experimento, batizado de SANJ-A (Sistema de Aquisição de dados de Navegação Joseense – versão A), catalisa os esforços de alunos da rede municipal de ensino de São José dos Campos, sob a orientação de professores e de voluntários de instituições de pesquisa e desenvolvimento e da indústria aeroespacial e repete o entusiasmo da operação Maracati II (2010), quando outro experimento de alunos joseenses voou com sucesso a bordo de um foguete da série VSB-30.

Dados de voo extraídos de registro em vídeo de alta velocidade do foguete didático com o experimento SANJ-A embaracado. [imagem: IAE/Laboratório de Registro de Imagens]

O protótipo do SANJ-A realizou seu primeiro voo de teste a bordo de foguetes didáticos construídos com garrafas PET, nas dependências do Museu Interativo de Ciências. O voo foi registrado em vídeo de alta velocidade e analisado pelo Laboratório de Registro de Imagem do IAE, fornecendo dados de voo para validação do sistema de aquisição de dados do experimento. Os pequeno foguetes didáticos atingem acelerações da mesma ordem de grandeza das acelerações desenvolvidas por veículos espaciais reais e a comparação entre os valores obtidos através da análise de vídeo e os dados adquiridos pelo sensor inercial embarcado no experimento pode garantir o correto funcionamento do SANJ-A quando embarcado no FTI.

Após o lançamento do SANJ-A, o envolvimento dos alunos se volta ao tratamento e análise dos dados adquiridos, investigando a dinâmica de voo de um foguete real e comparando-a com a física dos foguetes didáticos.

2 respostas para “Projeto SANJ-A – São José dos Campos educando para o Espaço.”

  1. Estou encantada com o nível do trabalho desses alunos e envolvimento desses profissionais!
    Parabéns pela iniciativa!

    1. São José dos Campos é realmente uma cidade privilegiada neste aspecto. Há uma efervescência de belas iniciativas voluntárias de educação e divulgação científica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *