Sob a Sombra da Lua.

Um século depois de um eclipse solar total sobre a América do Sul fornecer dados para a confirmação experimental da Teoria Geral da Relatividade, mais um eclipse sobre nosso continente promete entrar para a história.

O eclipse de 1919 foi observado por uma expedição britânica e por uma comitiva do Observatório Nacional na cidade de Sobral (CE). Ao mesmo tempo, uma expedição liderada pelo astrônomo Arthur Eddington tinha dificuldades para registrar o fenômeno na costa ocidental da África, devido ao mau tempo. Ainda assim, apesar de não ter tido sucesso na observação do eclipse, Eddington conseguiu utilizar os dados coletados no Brasil para validar as previsões da Teoria da Relatividade Geral de Einstein.

Faixa da Totalidade do Eclipse de 2 de Julho de 2019 passa pelo sul do Deserto do Atacama (Chile), região onde estão instalados alguns dos principais observatórios astronômicos do mundo. [imagem: Xavier M. Jubier ]

No dia 2 de Julho de 2019, 100 anos após as observações de Sobral, um eclipse total será pela primeira vez observável a partir de um dos sítios astronômicos mais importantes do planeta: a estreita faixa do Deserto do Atacama (Chile) que se encontra no caminho da totalidade do eclipse abriga alguns dos principais instrumentos astronômicos em operação atualmente, incluindo o Observatório Europeu do Sul (European Southern Observatory – ESO) e o Observatório Interamericano de Cerro Tololo (CTIO) – Este último abrigando os telescópios Gemini e SOAR, com participação brasileira.

Simulação do Eclipse de 2 de Julho de 2019, sobre o Cerro La Silla (ESO). O Sol estará baixo sobre o horizonte oeste e os planetas Venus, Mercúrio e Marte estarão visíveis [imagem: ESO]

Cidades sob a faixa da totalidade estarão repletas de turistas, astrônomos amadores e imprensa. Se você não é um destes afortunados observadores, fique de olho na transmissão online do eclipse no site do ESO: https://www.eso.org/public/live/

Fique atento ao horário: a fase total do eclipse inicia às 17h39min (horário de Brasília).

A totalidade menos de 2 minutos para observadores na região. Mas certamente estes 111 segundos ficarão registrados como uma das mais fascinantes visões tesmenhadas por cada um dos observadores que se encontrarão sob a sombra da Lua neste dia 2 de Julho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *