100 Anos do Eclipse de Sobral. Primeira Confirmação Experimental da Teoria da Relatividade Geral.

Há 100 anos, no dia 29 de maio de 1919, uma cidade no interior do Ceará entrava para a história ao receber uma expedição de astrônomos que confirmaria experimentalmente, pela primeira vez, uma das previsões da então recém publicada Teoria da Relatividade Geral.

Einstein e Eddington em Cambridge (1930) [foto atribuída a Winifred Eddington ]

A Teoria da Relatividade Geral, de Albert Einstein, publicada em 1915 é uma sucessora da teoria da gravitação desenvolvida por Isaac Newton no séc. XVII. Entre os méritos imediatos da Relatividade Geral estavam a correta previsão da precessão da órbita do planeta Mercúrio, que não era satisfatoriamente explicada pela teoria newtoniana. A teoria de Einstein previu também a existência de ondas gravitacionais além de um desvio da luz causado pelo campo gravitacional do Sol, que não podia ser totalmente explicado pela teoria de Newton.

Na busca por confirmações observacionais do desvio da luz previsto na teoria de Einstein, o britânico Frank Dyson, Astrônomo Real e diretor do Observatório Real de Greenwich previu que o eclipse total de maio de 1919 seria uma grande oportunidade de confirmar o desvio da luz nas proximidades do disco solar a partir da medida na distorção da posição aparente das estrelas, com o Sol cruzando um rico campo estelar no aglomerado das Híades, na constelação de Touro. Uma expedição com astrônomos dos observatórios de Cambridge e de Greenwich foi montada para a observação do fenômeno a partir de Sobral, no Brasil, e do arquipélago de São Tomé e Príncipe, na costa africana.

Trajetória da totalidade no eclipse de maio de 1919, cruzando a América do Sul, o Oceano Atlântico e o continente africano.

O mau tempo prejudicou as observações na costa africana, mas as imagens obtidas a partir do Brasil garantiram os resultados buscados. O deslocamento aparente das estrelas nas proximidades do disco solar eclipsado eram consistentes com a previsão da Relatividade Geral consistindo em uma grande vitória experimental que deu grande credibilidade e promoveu a ampla aceitação da teoria.

Placas fotográficas originais do Eclipse de 1919 estão conservadas no acervo do Observatório Nacional.

Vários eventos estão programados para celebrar o centenário. Em São José dos Campos, o projeto Ciência no Parque promove no dia 21/05 às 19h30 no Parque Vicentina Aranha, em parceria com o Departamento de Astrofísica do INPE, palestra com o professor Luis Carlos Bassalo Crispino (UFPA). Além do histórico eclipse, a palestra abordará temas recentes relacionados à Relatividade Geral, como os buracos negros e a detecção de ondas gravitacionais, 100 anos após sua previsão pela teoria.